• Leia onde estiver

  • Tópicos recentes

  • projeto paralelo

    Hiper - Estudos em Comunicação Digital
  • del.icio.us

  • now in theaters

  • Anúncios

Quando a Laranja vira Bergamota Mecânica

Ainda que seja um tanto quanto cedo para que se atribua este rótulo ao Internacional, a tropicalização do conceito de carrossel, feita pela Placar, mostra que ainda é possível ser criativo no Jornalismo.

Bergamota Mecânica

O centro do país, ao que parece, começa a prestar atenção ao remodelado time Abel Braga – ainda que boa parte dos jogadores tenham permanecido na equipe.

A comparação entre a Seleção da Holanda de 1974, a Laranja Mecânica, e o colorado, apesar de criativa, é perigosa porque pode contaminar os jogadores. Ainda que o trecho abaixo se aproxime e muito ao conceito de futebol total.

Um dos principais elementos que movem a Bergamota Mecânica é a capacidade de seus jogadores de executarem múltiplas funções. Na defesa, Índio é zagueiro e ala-direito; o colombiano Orozco, líbero e volante; Marcão, zagueiro e ala pela esquerda. No meio-campo, Wellington Monteiro trabalha como ala-direito, volante e até zagueiro; Edinho é volante e zagueiro; Magrão, volante, meia e atacante. Alex joga como meia, atacante e até volante. Guiñazu só não atuou como goleiro. Fernandão e Iarley são meias e atacantes.

A esse novo Inter resta um grande título para provar que Bergamota Mecânica é um elogio, e não um artifício para envenenar o time…

Anúncios