• Leia onde estiver

  • Posts recentes

  • projeto paralelo

    Hiper - Estudos em Comunicação Digital
  • del.icio.us

  • now in theaters

sobre o (polêmico) twitter

sou um sujeito implicante por natureza – por uma questão de marketing pessoal, prefiro polemista a implicante, ainda que este segundo adjetivo (polemista) traga alguns contrabandos que não valhe a pena comentar agora.

feita esta introdução – para avisar aos desavisados o que está por vir -, é importante ressalvar que, enfim, descobri a real importância do twitter.

nunca escondi minha total descrença e falta de motivação (e não é só minha) em relação ao serviço – parece mais uma ferramenta de networking do que qualquer outra coisa.

microblog? tenho cá minhas dúvidas, afinal o que se faz através do twitter pelo celular pode-se fazer com qualquer outro serviço também pelo celular.

mas, vá lá, precisava dar uma chance – se não por uma questão de preferência, mas por um dever de profissão e compromisso com o que está se falando sobre na web.

pois bem, preconceito e conservadorismo postos de lado, me cadastrei no serviço e passei a acompanhar (e ser acompanhado) determinados usuários. hoje, para minha surpresa, retirei algo útil lá das entranhas do twitter, onde eu só enxergava recados cifrados e piadas internas.

Started writing the new book yesterday. Finally figured out the phrasing of the first line while half asleep on the F train.

o recado é de steven johnson (ele anda silencioso em seu blog), avisando que finalmente colocou o primeiro ponto final de seu mais novo livro. a mensagem anterior falava da felicidade dele ao ver o filho de seis anos fazendo um home run – o cara é muito fã de baseball, basta ler surpreendente.

assim como nunca escondi o que penso sobre o twitter, também nunca escondi o que penso do johnson. aliás, se você ainda não o descobriu, corra. e descubra o que se pode tirar de útil do twitter.

sobre o polêmico bloqueio do wordpress.com

se os caros tentarem acessar esse blog e por acaso ele estiver fora do ar, aqui está a razão.

não vou me ater aos motivos que levaram a decisão da justiça brasileira a tomar esta atitude – ainda que, apesar de existir liberdade de expressão, crime é crime em qualquer lugar, aqui ou no mundo offline -, porque há gente tarimbada que já o fez.

agora, o que chama a atenção na notícia do G1 é um detalhe que, aparentemente, passou despercebido.

De acordo com a Abranet, o Brasil responde por cerca de 1 milhão dos blogs hospedados no WordPress.

ainda que o texto deixe implícito que está a se falar, neste trecho específico, do wordpress.com, é respeitável o tamanho da comunidade brasileira dentro do serviço de hospedagem.

a se confirmarem os números, o Brasil tem mais de 30% dos blogs hospedados pelo wordpress. uma senhora rede. veja o print da home do wordpress.com.

se você não leu o texto até o final, aqui vão outros dados que revelam a parcela da blogosfera que será atingida, caso o bloqueio se confirme – sem falar nos leitores desses blogs que ficarão fora do ar, inclusive os meus alunos 😉 .

Segundo a companhia de monitoramento de tráfego Alexa, o WordPress ocupa a 27ª posição entre as páginas mais acessadas do país. Se considerados os sites mais acessados de todo o mundo, os blogs do WordPress ficam em 49º lugar. Nos EUA, ele teve crescimento de 310% no período de um ano e terminou 2007 somente atrás do Blogger entre os serviços de blog mais populares do mundo.

que alguém sensato se aproxime do juiz e lhe aconselhe outras formas de dar as garantias individuais do sujeito que se sentiu lesado – e que está em seu pleno direito de pedir a reparação do dano, diga-se.

Quando a Laranja vira Bergamota Mecânica

Ainda que seja um tanto quanto cedo para que se atribua este rótulo ao Internacional, a tropicalização do conceito de carrossel, feita pela Placar, mostra que ainda é possível ser criativo no Jornalismo.

Bergamota Mecânica

O centro do país, ao que parece, começa a prestar atenção ao remodelado time Abel Braga – ainda que boa parte dos jogadores tenham permanecido na equipe.

A comparação entre a Seleção da Holanda de 1974, a Laranja Mecânica, e o colorado, apesar de criativa, é perigosa porque pode contaminar os jogadores. Ainda que o trecho abaixo se aproxime e muito ao conceito de futebol total.

Um dos principais elementos que movem a Bergamota Mecânica é a capacidade de seus jogadores de executarem múltiplas funções. Na defesa, Índio é zagueiro e ala-direito; o colombiano Orozco, líbero e volante; Marcão, zagueiro e ala pela esquerda. No meio-campo, Wellington Monteiro trabalha como ala-direito, volante e até zagueiro; Edinho é volante e zagueiro; Magrão, volante, meia e atacante. Alex joga como meia, atacante e até volante. Guiñazu só não atuou como goleiro. Fernandão e Iarley são meias e atacantes.

A esse novo Inter resta um grande título para provar que Bergamota Mecânica é um elogio, e não um artifício para envenenar o time…

Antes de julgar, informe-se

isabella nardoniSem tem uma – entre várias outras – coisa que sinto imensa falta de o NoMínimo não mais existir é a capacidade que os colunistas do finado site tinham de surpreender o distinto público com as suas opiniões.

Opiniões todos têm. Mas as sensatas, são raras. As sensatas baseadas em informação, ainda mais difíceis de se encontrar.

Essa é uma das minhas lamentações. Acompanho aqui, ali e acolá alguns dos remanescentes de NoMínimo. E saudei a volta nos últimos dias de outro cara do mesmo quilate dos três anteriores: Guilherme Fiuza.

Pois o Fiuza foi na pleura hoje. No ponto. Com invejável bom-senso, o país tomado pela tragédia com a menina Isabella Nardoni, morta após cair de uma janela do apartamento onde morava com os pais, ele escreveu:

O pai tem pinta de ser o assassino? Pode ser. O problema é que pode não ser.

O Brasil inteiro sofre. O Brasil inteiro quer justiça. Mas é bom avisar ao Brasil inteiro que a tragédia pertence, antes de tudo, à família da menina Isabelle. Sejam quem forem os vilões. Não é o Big Brother.

O texto é, antes de tudo, uma aula para quem é jornalista. Para os apressados de plantão e os integrantes dos tribunais de execução. Principalmente para um país em que a imprensa fabrica Escolas Base aos borbotões…

que majestade é essa?

os que me conhecem sabem que eu sou muito fã de sistemas auto-organizados – em linguagem de gente, o mesmo que ocorre quando a amazon (será que alguém ainda necessita desse link?) te manda um email só com coisas bacanas e que encaixam direitinho com os meus gostos.

[há outros exemplos, mas não quero soar pedante.]

pois hoje abri o e-mail e me deparei com a seguinte mensagem de uma loja virtual wanna be amazon (literalmente).

anúncio submarino

além de acertar os meus gostos, e não me indicar ivete sangalo (como o submarino fez), a amazon nunca escorregou na língua.

há quem prefira will.i.am

pra quem ainda não teve o prazer, vale a pena ouvir a versão que chris cornell fez para o clássico billie jean.

digamos que o sujeito tem um currículo daqueles. depois de soundgarden e audioslave, atrever-se a reinventar um clássico.

[e essa o jacko não coloca no álbum em comemoração aos 25 anos de thriller… vai entender.]

ps: assim que houver uma versão melhor do vídeo, sem slideshow 😉 , eu publico.

para quem está de malas prontas

golden gate view

sei que isso anda para lá de parado. então vou aproveitar a chance que a minha dinda cássia me deu e passar a vocês as minhas dicas para uma viagem rápido-e-rasteira para los angeles e san francisco.

[a lista está ordenada, mas esse ordenamento não quer dizer importância. talvez para mim, que fui lembrando e mandando as dicas.]

é bom salientar que o especialista em los angeles da família não sou eu. mas como a clarissa não está a mão, então contentem-se comigo 😉

los angeles

estrela calçada da fama
  1. andar pela hollywood boulevard e conferir as estrelas na calçada e o mann chinese
  2. seguir a sunset boulevard até o pacífico e seguir à direita para malibu ou à esquerda para santa monica e venice beach
  3. relembrar james dean e ir até o observatório do griffith park
  4. procura por uma loja chamada amoeba, em hollywood. templo absoluto do consumo barato de CDs e DVDs

san francisco

lombard street
  1. lombard street – a rua é cheia de flores e contornos na mesma proporção. e a baía ao fundo é de tirar o fôlego
  2. os leões-marinhos no pier de fisherman’s wharf
  3. caminhar toda a embarcadero road – é tipo a nossa mauá, só que sem muro – e curtir os japas pescando na baía
  4. escolher algum chinês em chinatown – que é a maior chinatown do mundo fora, é claro, da china – e almoçar sem medo de ficar doente
  5. óbvio, atravessar a golden gate e ver a cidade ao fundo, depois da baía
  6. tentar encontrar algum vestígio do frank morris em alcatraz (é um lugar realmente lindo e frio)

a melhor de todas as dicas para mim é encurtar a estadia de três dias em los angeles e seguir até san francisco pela mítica pacific coast highway – se der, parar em san simeon e visitar o fantástico castelo de william randolph hearst.