• Leia onde estiver

  • Tópicos recentes

  • projeto paralelo

    Hiper - Estudos em Comunicação Digital
  • del.icio.us

  • now in theaters

  • Anúncios

Antes de julgar, informe-se

isabella nardoniSem tem uma – entre várias outras – coisa que sinto imensa falta de o NoMínimo não mais existir é a capacidade que os colunistas do finado site tinham de surpreender o distinto público com as suas opiniões.

Opiniões todos têm. Mas as sensatas, são raras. As sensatas baseadas em informação, ainda mais difíceis de se encontrar.

Essa é uma das minhas lamentações. Acompanho aqui, ali e acolá alguns dos remanescentes de NoMínimo. E saudei a volta nos últimos dias de outro cara do mesmo quilate dos três anteriores: Guilherme Fiuza.

Pois o Fiuza foi na pleura hoje. No ponto. Com invejável bom-senso, o país tomado pela tragédia com a menina Isabella Nardoni, morta após cair de uma janela do apartamento onde morava com os pais, ele escreveu:

O pai tem pinta de ser o assassino? Pode ser. O problema é que pode não ser.

O Brasil inteiro sofre. O Brasil inteiro quer justiça. Mas é bom avisar ao Brasil inteiro que a tragédia pertence, antes de tudo, à família da menina Isabelle. Sejam quem forem os vilões. Não é o Big Brother.

O texto é, antes de tudo, uma aula para quem é jornalista. Para os apressados de plantão e os integrantes dos tribunais de execução. Principalmente para um país em que a imprensa fabrica Escolas Base aos borbotões…

Anúncios

e o kiki?

informação publicada na excelente coluna de erico valduga. ainda não conhece o periscópio? vai correndo.

Informação importante, de fato

Chamada, com foto de uma moça, no alto da página de um dos mais freqüentados sites de notícias: “Carol Castro deixa restaurante com amiga”. Abre-se a matéria, e vem a mesma foto, com este título: “Com os cabelos vermelhos, Carol Castro almoça no Leblon”. Clica-se e chega-se à matéria, sempre com a mesma foto da moça, sem a amiga, que deve ser fantasma: “A atriz Carol Castro, 23 anos, foi fotografada nesta quinta-feira após almoçar com uma amiga em um restaurante no bairro do Leblon, Rio de Janeiro. Carol, que se prepara para interpretar no teatro a personagem principal de Dona Flor e Seus Dois Maridos, de Jorge Amado, exibiu os seus longos cabelos vermelhos, pintados desde que começou a estrelar campanha publicitária de uma marca para tintas de cabelo. A última personagem de Carol Castro na televisão foi na novela O Profeta, em que vivia a vilã Ruth”. Como diz o colega paulista Carlos Brickmann, ainda bem que o editor de Periscópio abriu a matéria, e dormiu bem-informado.

é por isso que o pânico pergunta: e o kiko? e a kika? e a o kiki?

ainda que eu ache que o erico não veja o programa, ele deve ter-se feito as mesmas perguntas ao se deparar com esse festival de desinformação.

e o que que isso importa?

quanta relevância na “notícia” publicada pelo portal…

vida após o caos

as transmissões ainda serão falhas nos próximos dias, mas tendem a retornar ao ritmo normal… quem esperou até aqui, precisa ter um pouco mais de paciência.

para o retorno, guardei essa: uma das melhores revistas do país pode fechar.

será que alguém de bom-senso não terá sensibilidade mínima para abraçar o projeto?

é uma pena.

protesto contra a violência

quem acompanha este espaço sabe da minha solidariedade com este caso. quem puder, esteja lá. proteste. manifeste-se. para que não se calem mais vozes inocentes.

Amigos,

passados quase sete meses, somente agora, no dia 08 de março, quinta-feira, às 14 horas, o assassino de meu irmão vai prestar seu depoimento. Será no Fórum Central de Porto Alegre, localizado atrás do prédio do Ipe.

Durante esse tempo todo, fora breve período após o flagrante, o assassino esteve solto, morando na praia e constituindo sua argumentação baseada no lastro da “legítima defesa”. Desnecessário dizer a vocês o quanto nos repugna essa atitude, pois envolve a sordidez do covarde crime com a manta da vil mentira. Esse Wagner Lemos Medeiros não apenas matou meu irmão, mas desferiu um tiro em toda minha família. E, neste momento, protegido pelos ritos da “justiça”, nos afronta. Nos castiga. Dança na ferida.

Desde o ocorrido, minha mãe e meus irmãos fazem terapia familiar tentando com a mais honrada coragem encontrar um veio crível nessa insana realidade. Sou testemunha do esforço hercúleo, comovente. Mas, mesmo assim, os dias dóem. Minha mãe, embora uma mulher forte, chora constantemente. E meus irmãos, e eu, cada um a seu modo, também vertemos lágrimas. Uma morte brutal como a que nos vitimou impõe um silêncio que retumba em todo o futuro. E a impunidade testa nossos músculos na inutilidade. E também gargalha de nossas noções de civilização, de justiça, de responsabilização de atos, de honradez, de humanidade.

Mas, não nos dobramos. Em nenhum momento a vingança foi aventada, mesmo quando ofertada. Queremos Justiça. Queremos que o matador frio e cínico cumpra a sua pena. E, meus amigos, isso é um esforço para todos, não apenas para nós, pois que meu querido irmão não retornará. Alguns rirão de nós, porém, ainda acreditamos nesses movimentos de cidadania, de solidariedade, de bondade e de força. A força nascida do espírito que nenhum mal humilha ou sequer alcança. Meu irmão Io viveu assim. E nós por ele assim lutaremos. Lutamos.

Para o dia do depoimento estamos organizando um protesto defronte o Fórum. Levaremos faixas, cartazes e camisetas. E convidamos todos a se juntarem a nós. Por favor, se esforcem. Atrasem o almoço, se preciso, mas, peço, compareçam. É para que ninguém mais sinta essa dor. Para que nenhuma outra mãe tenha que enterrar seu filho assassinado. Para que nenhuma outra noiva fique por casar pranteando o corpo inerte do noivo assassinado. Para que nenhum outro irmão sinta medo dos dias vindouros ao recordar constantemente do querido e jovem irmão assassinado.

Estamos a ver, todos os dias, os noticiários dos bárbaros crimes praticados no país. Os últimos, o gurizinho do Rio, e a jovem, de São Paulo. E se cremos que a lama não nos alcança, nos enganamos. E perdemos tempo.

Por favor, peço que repassem esta mensagem a quem vocês considerarem que possa nos auxiliar ou participar do protesto. Repassem para colegas, para amigos, para familiares, para jornalistas, mas, repassem. Criemos uma rede.

Eu agradeço muito a todos. Vocês têm sido muito generosos comigo e com minha família.

Obrigado.

Paulo Henrique Carvalho

idéia de jerico

montanha pintada

pintar pedreira em montanha de verde é o ó.

semana das dúvidas…

alguém poderia me explicar isto [precisa de cadastro gratuito], pelamor?

quando sinais encontra lost

só faltavam aliens e ETs no Lost…

o que virá depois?