• Leia onde estiver

  • Posts recentes

  • projeto paralelo

    Hiper - Estudos em Comunicação Digital
  • del.icio.us

  • now in theaters

  • Anúncios

o que obama nos ensina

Obama discursa na primária da Pensilvânia

é impressionante como a compreensão correta, a percepção exata pode fazer uma diferença considerável. ainda na madrugada de hoje, recebi esse e-mail do Comitê Eleitoral do senador Barack Obama.

Daniel —

Votes are still being counted in Pennsylvania, but one thing is already clear.

In a state where we trailed by more than 25 points just a couple weeks ago, you helped close the gap to a slimmer margin than most thought possible.

Thanks to your support, with just 9 contests remaining, we’ve won more delegates, more votes, and twice as many contests.

vocês já sabem que o candidato a candidato do Partido Democrata sofreu uma dura derrota para a senadora Hillary Clinton. Excepcional, nas palavras de quem acompanha a refrega de perto. Mas, o importante aqui, é o poder de mobilização que está sendo utilizado através da Web.

Obama venceu em 30 dos 44 estados onde já foram realizadas prévias. sua considerável margem foi conquistada numa importante seqüência de vitórias entre fevereiro e março. seu eleitorado, em sua maioria, é composto por jovens entre abaixo dos 30 anos.

há quem veja aí um verniz mercadológico para torná-lo um produto – Obama é iPod ou Mac? -, de modo a embalá-lo a um público que o compre por até três gerações.

e, neste novo momento da web, são os consumidores que estão indo ao encontro das marcas – e não mais o contrário. são eles que estão indo às ruas e às prévias votar. seguem obama. inclusive na rede.

em poucas palavras: mais mobilizado, este eleitor tem feito a diferença no jogo da escolha do Partido Democrata não só porque vota, mas porque cadastra novos eleitores. e a Web tem uma parcela importante nesse processo.

e é aqui que o excerto do e-mail que recebi do comitê de Obama atua. ao dizer que, ainda que os votos não tenham sido todos contados, eles agradecem a mobilização dos eleitores que permitiram reduzir uma diferença de 25 pontos percentuais entre a candidatura Clinton e a candidatura Obama.

não apenas isso: a campanha pede que a mobilização continue. que se permaneça cadastrando eleitores novos e mobilizando as pessoas a participar do processo. e esse papel é feito por gente que está por trás da estratégia de comunicação digital da campanha.

é uma lição importante. e é um belo estudo de caso de marketing político.

(ainda que cometa alguns erros. estou cadastrado com um zip code de beverly hills e recebi e-mails solicitando ajuda para cadastrar eleitores na pensilvânia. vá lá, talvez eu conheça alguém lá, não é? 😉 )

Anúncios

ação contra o bloqueio do wordpress

sob a ameaça de ter meus blogs bloqueados por conta da execução de uma decisão judiciária que não me diz respeito diretamente – o que inclusive já discuti aqui -, resolvi compartilhar com vocês duas informações.

a primeira pode ser vista à esquerda: é um logo da campanha pelo não bloqueio do serviço wordpress.com – a ação não é minha, apenas a apóio. solicitar que um blog que lesou a honra de alguém seja cassado, vá lá. a justiça serve exatamente para mediar essas situações. mas bloquear todo o serviço e toda a comunidade, é algo nunca visto antes.

a segunda é a ação que o matt mullenweg, um dos caras que gerou a ferramenta, vai fazer no brasil para evitar o desastre iminente. matt foi avisado por sua equipe depois que rodrigo ghedin, do excelente pblog, mandou uma mensagem alertando o que está por acontecer com o serviço gratuito de hospedagem de blogs do wordpress.

é de se esperar alguma sensatez nesse caso… ou a emergência mostrará a sua força.

sobre o (polêmico) twitter

sou um sujeito implicante por natureza – por uma questão de marketing pessoal, prefiro polemista a implicante, ainda que este segundo adjetivo (polemista) traga alguns contrabandos que não valhe a pena comentar agora.

feita esta introdução – para avisar aos desavisados o que está por vir -, é importante ressalvar que, enfim, descobri a real importância do twitter.

nunca escondi minha total descrença e falta de motivação (e não é só minha) em relação ao serviço – parece mais uma ferramenta de networking do que qualquer outra coisa.

microblog? tenho cá minhas dúvidas, afinal o que se faz através do twitter pelo celular pode-se fazer com qualquer outro serviço também pelo celular.

mas, vá lá, precisava dar uma chance – se não por uma questão de preferência, mas por um dever de profissão e compromisso com o que está se falando sobre na web.

pois bem, preconceito e conservadorismo postos de lado, me cadastrei no serviço e passei a acompanhar (e ser acompanhado) determinados usuários. hoje, para minha surpresa, retirei algo útil lá das entranhas do twitter, onde eu só enxergava recados cifrados e piadas internas.

Started writing the new book yesterday. Finally figured out the phrasing of the first line while half asleep on the F train.

o recado é de steven johnson (ele anda silencioso em seu blog), avisando que finalmente colocou o primeiro ponto final de seu mais novo livro. a mensagem anterior falava da felicidade dele ao ver o filho de seis anos fazendo um home run – o cara é muito fã de baseball, basta ler surpreendente.

assim como nunca escondi o que penso sobre o twitter, também nunca escondi o que penso do johnson. aliás, se você ainda não o descobriu, corra. e descubra o que se pode tirar de útil do twitter.

sobre o polêmico bloqueio do wordpress.com

se os caros tentarem acessar esse blog e por acaso ele estiver fora do ar, aqui está a razão.

não vou me ater aos motivos que levaram a decisão da justiça brasileira a tomar esta atitude – ainda que, apesar de existir liberdade de expressão, crime é crime em qualquer lugar, aqui ou no mundo offline -, porque há gente tarimbada que já o fez.

agora, o que chama a atenção na notícia do G1 é um detalhe que, aparentemente, passou despercebido.

De acordo com a Abranet, o Brasil responde por cerca de 1 milhão dos blogs hospedados no WordPress.

ainda que o texto deixe implícito que está a se falar, neste trecho específico, do wordpress.com, é respeitável o tamanho da comunidade brasileira dentro do serviço de hospedagem.

a se confirmarem os números, o Brasil tem mais de 30% dos blogs hospedados pelo wordpress. uma senhora rede. veja o print da home do wordpress.com.

se você não leu o texto até o final, aqui vão outros dados que revelam a parcela da blogosfera que será atingida, caso o bloqueio se confirme – sem falar nos leitores desses blogs que ficarão fora do ar, inclusive os meus alunos 😉 .

Segundo a companhia de monitoramento de tráfego Alexa, o WordPress ocupa a 27ª posição entre as páginas mais acessadas do país. Se considerados os sites mais acessados de todo o mundo, os blogs do WordPress ficam em 49º lugar. Nos EUA, ele teve crescimento de 310% no período de um ano e terminou 2007 somente atrás do Blogger entre os serviços de blog mais populares do mundo.

que alguém sensato se aproxime do juiz e lhe aconselhe outras formas de dar as garantias individuais do sujeito que se sentiu lesado – e que está em seu pleno direito de pedir a reparação do dano, diga-se.

que majestade é essa?

os que me conhecem sabem que eu sou muito fã de sistemas auto-organizados – em linguagem de gente, o mesmo que ocorre quando a amazon (será que alguém ainda necessita desse link?) te manda um email só com coisas bacanas e que encaixam direitinho com os meus gostos.

[há outros exemplos, mas não quero soar pedante.]

pois hoje abri o e-mail e me deparei com a seguinte mensagem de uma loja virtual wanna be amazon (literalmente).

anúncio submarino

além de acertar os meus gostos, e não me indicar ivete sangalo (como o submarino fez), a amazon nunca escorregou na língua.

para quem está de malas prontas

golden gate view

sei que isso anda para lá de parado. então vou aproveitar a chance que a minha dinda cássia me deu e passar a vocês as minhas dicas para uma viagem rápido-e-rasteira para los angeles e san francisco.

[a lista está ordenada, mas esse ordenamento não quer dizer importância. talvez para mim, que fui lembrando e mandando as dicas.]

é bom salientar que o especialista em los angeles da família não sou eu. mas como a clarissa não está a mão, então contentem-se comigo 😉

los angeles

estrela calçada da fama
  1. andar pela hollywood boulevard e conferir as estrelas na calçada e o mann chinese
  2. seguir a sunset boulevard até o pacífico e seguir à direita para malibu ou à esquerda para santa monica e venice beach
  3. relembrar james dean e ir até o observatório do griffith park
  4. procura por uma loja chamada amoeba, em hollywood. templo absoluto do consumo barato de CDs e DVDs

san francisco

lombard street
  1. lombard street – a rua é cheia de flores e contornos na mesma proporção. e a baía ao fundo é de tirar o fôlego
  2. os leões-marinhos no pier de fisherman’s wharf
  3. caminhar toda a embarcadero road – é tipo a nossa mauá, só que sem muro – e curtir os japas pescando na baía
  4. escolher algum chinês em chinatown – que é a maior chinatown do mundo fora, é claro, da china – e almoçar sem medo de ficar doente
  5. óbvio, atravessar a golden gate e ver a cidade ao fundo, depois da baía
  6. tentar encontrar algum vestígio do frank morris em alcatraz (é um lugar realmente lindo e frio)

a melhor de todas as dicas para mim é encurtar a estadia de três dias em los angeles e seguir até san francisco pela mítica pacific coast highway – se der, parar em san simeon e visitar o fantástico castelo de william randolph hearst.

steven johnson em porto alegre

steven johnson

sabe aquele cara que você admira por ter idéias simples e brilhantes? não parece, de modo algum, pedante ou auto-suficiente. ao contrário, está mais próximo de ser o irmão mais velho que decifra alguns dos mistérios mais complicados do mundo?

pois então. tem um sujeito assim por quem nutro uma admiração profunda. steven johnson. quem já foi meu aluno ou teve oportunidade de conversar comigo sobre as mudanças na web sabe disso.

porque o johnson, entre outras coisas, também busca em marshall mcluhan pistas para os enigmas atuais dos meios de comunicação, especialmente os de suporte digital. não que todas as respostas estejam lá, mas estão bem iluminadas.

longe de ser teórico chato, steven johnson é de uma clareza absurda em seus dois primeiros livros – a cultura da interface e, especialmente, em emergência -, faculdade essa que apenas só é desenvolvida por quem tem o leitor como foco, e não o próprio umbigo. leituras obrigatórias.

(para quem quiser ir adiante, há ainda surpreendente!, pela editora campus, e de cabeça aberta e o mapa fantasma, pela mesma jorge zahar que editou seus dois primeiros livros no brasil.)

pois bem. johnson estará em porto alegre, dia 16 de fevereiro, participando da conferência mundial sobre o desenvolvimento de cidades. ele fará a conferência da noite de encerramento do evento.

vocês podem notar a minha tristeza por não estar na cidade nesse dia. merecidamente, estarei em férias, quatro anos depois da última. em vez de guardar a informação comigo, resolvi compartilhá-la com todos, na esperança que alguém vá e me conte o que eu perdi.